“QUANDO A OPORTUNIDADE SURGIU, ATRAVÉS DO FREI GALIANO,  NEM HESITAMOS´´

GRANDE ENTREVISTA COM PROFESSORAS FORMADORAS ANA E LAURA

Ana Sousa  e Laura Ferraz  trabalharam,  durante uma semana,  com professores do Ensino Básico da Escola Prof. José de Sousa ligada à Paróquia Nossa Senhora de Candelária.

Site da Catedral: O que vos motivou a aceitarem o convite para virem à Guiné para esta ação de reciclagem aos professores da escola Prof. António José de Sousa?

Ana Sousa e Laura Ferraz: A vontade de fazer voluntariado na área do ensino já era um sonho de muito tempo…. Quando a oportunidade surgiu, através do frei Galiano, nem hesitamos!

S.C: Já se pode falar de uma parceria ou de um intercâmbio, em termos didáticos, científicos entre as duas instituições, Escola Prof. António José de Sousa e Externato Paulo VI?

Ana e Laura: Uma parceria está, certamente, no horizonte. Viemos com um projeto pessoal, mas que pode ser alargado à nossa Instituição que receberá com bons olhos este intercâmbio e troca de vivências.

S.C: Em que área vai incidir a reciclagem?

Ana e Laura: A reciclagem incidirá na metodologia de ensino no primeiro ciclo.

S.C: É apenas uma experiência ou é uma ação que vai ter continuidade?

Ana e Laura: Começou por ser uma experiência, no entanto, estamos com muita vontade de dar continuidade a este projeto.

S.C: O que acham do ensino guineense, de forma particular, na escola Prof.António José de Sousa?

Ana e Laura: Achamos que os docentes estão muito empenhados em realizar um bom trabalho junto dos seus alunos, mas estão um pouco parados no tempo. Toda a nossa metodologia apela ao dinamismo e à inovação, mas sentimos que na escola Prof. António José de Sousa os professores estão bastante “agarrados” ao conceito da criança passiva e “presa” à sua cadeira. A mudança é urgente!

S.C: Se algo deve ser melhorado começariam em quê?

Ana e Laura: Está nas mãos da Direção e dos Professores tornarem as aulas mais apelativas, motivadoras e dinâmicas, para que os alunos aprendam com mais liberdade de movimentos, entusiasmo e alegria, e para que o sucesso seja uma constante. A criança em crescimento exige movimento, dentro e fora da sala de aula. Crianças paradas, são crianças desmotivadas! O bom relacionamento e a cooperação entre a direçao, os professores, os alunos e as suas famílias é fundamental em todo o processo de ensino e aprendizagem.

S.C: De certeza vieram de uma experiência acumulada de outros quadrantes. Querem falar de vossa experiência noutros países?

Ana e Laura: Em Portugal e em Espanha, países onde já trabalhamos, pretende-se que os alunos estejam envolvidos em todo o processo de aprendizagem, tornando-se seres capazes de tomar decisões por si próprios, tendo sentido crítico e cooperando sempre com os colegas num mundo mais livre, assertivo e responsável.

S.C: O processo de ensino e aprendizagem é algo que exige muita atualização e constantes adaptações conforme a realidade de cada país. No caso da Guiné pode acontecer o mesmo, o que sugerem?

Ana e Laura: Sugerimos que seja dada ao docente toda a liberdade para pôr a escola em movimento. Será imprescindível a mudança e abertura de mentalidades. Verificamos que os professores que estiveram connosco estão dispostos a empenhar-se nesta inovação. Quem melhor do que eles conhece as necessidades dos alunos?

S.C: Como avaliam os trabalhos realizados nesses cinco dias de reciclagem, em termos de motivação, interesse e assiduidade por parte dos professores?

Ana e Laura: Foi um trabalho muito proveitoso, dinâmico e enriquecedor. Todos os professores colaboraram com muito interesse e dedicação ao longo dos cinco dias de reciclagem.

S.C: Querem acrescentar algo, que vos ressalta a vista e que não foram questionadas?

Ana e Laura: Professores entusiastas e livres são o mais importante num processo de mudança e inovação.

Texto: António Tavares

Fotos: Policiano Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *